Blog

2017: o ano do CMO Data Driven

15/03/2017 - Big Data 2017: o ano do CMO Data Driven Neste início de ano muito se debate sobre quais serão as grandes tendências no Marketing Digital: que tecnologias irão predominar, quais novos canais de interação com o consumidor irão surgir ou se consolidar ou que inovações os profissionais de Marketing estão trabalhando. Ao mesmo tempo em que procuramos olhar para o futuro, também procuramos entender como estamos avançando nas tendências que já eram apontadas nos últimos anos. E nenhuma tendência ganhou tanto espaço como a importância e o impacto do big data no dia a dia do profissional de Marketing. Em 2017, veremos novas tecnologias aplicadas ao Marketing ganhando força: Inteligência Artificial, uso de Bots e Apps de Mensagens como canais emergentes de interação com os clientes, Realidade Virtual e/ou Aumentada provocando uma imersão na experiência do consumidor, mais dispositivos conectados a internet gerando (ainda mais) dados, automação de Marketing permitindo que as equipes possam focar seu tempo na análise de resultados, otimização da estratégia e geração de ROI, e claro, a consolidação do big data vivendo nas entranhas do CMO! Porém alguns dados ainda chamam a atenção. De acordo com uma pesquisa realizada pela Bazaarvoice e CMO Council e publicada na AdWeek que entrevistou mais de 160 profissionais de Marketing e 2.100 Consumidores nos Estados Unidos, quase 70% dos executivos de Marketing falaram que ainda utilizam pesquisas como sua fonte primária de dados sobre seus consumidores. Mas ao mesmo tempo, o estudo revelou que apenas 27% dos clientes acreditavam que as pesquisas eram o meio mais eficiente para as empresas os conhecerem. Se de fato 2017 for o ano para os CMOs virarem a chave de vez e se tornarem cada vez mais direcionados por dados, eles terão que mudar a forma como suas equipes, seus processos e suas plataformas precisam trabalhar. Essa tranformação não é fácil, porém a velocidade da mudança é tão grande que o risco de manter o status quo é maior do que os desafios de enfrentar as novidades. E para que essa visão vire realidade, três aspectos da transformação são fundamentais: Capacite sua equipe: é fundamental que você identifique e desenvolva os conhecimentos e habilidades necessárias na sua equipe para que possa desencadear todo o poder de insight e ativação dos dados. Contrate profissionais com esse perfil e busque cursos, workshops, convide profissionais do mercado para trocarem experiências e promova um processo de aprendizado e troca de conhecimento contínuo para evoluir sua organização. De acordo com uma pesquisa recente do Mundo do Marketing feita no final de 2016 em que foram entrevistados mais de 470 profissionais de Marketing, o nível de desconhecimento sobre tecnologia no Marketing no Brasil é alarmante. Avalie seus processos e quebre barreiras: De acordo com a eConsultancy, cerca de 93% das áreas de Marketing tem equipes e tecnologias em silos por canal. Os times de E-mail Marketing, Web, Social, Mobile, Conteúdo, SEO/SEM e Mídia não estão alinhados e utilizam diferentes plataformas que não estão integradas. Quando as equipes utilizam tecnologias que não se conversam, o resultado é uma experiência de cliente inconsistente. É fundamental que o CMO reavalie seus processos de execução de Marketing, considerando: a) Como integrar a jornada do cliente, oferecendo uma experiência consistente e cross channel; b) Como compartilhar e alinhar dados e insights de comportamento e engajamento para desenhar a mensagem certo no momento correto; c) Como inverter o modo de execução da estratégia, deixando um modelo que investe tempo e recurso no set up e disparo de campanhas para um modelo que automatiza a execução diária, focando o tempo na análise dos dados, testando e aprendendo novas estratégias em um ciclo contínuo de otimização. Faça a tecnologia trabalhar a seu favor: Segundo o blog Chiefmartec.com, o número de soluções de tecnologia para Marketing saltou de 150 em 2011 para mais de 3.500 vendors em 2016! Ou seja, para cada disciplina do Marketing digital, há um número sem fim de soluções. Mas isso não significa que o CMO precisa conhecer todas. O importante é pensar em um Marketing Cloud que faça com as equipes invistam seu tempo na inovação e menos tempo integrando soluções. Pense em uma plataforma aberta que não só ofereça apps pré-integrados, mas uma infra-estrutura que possibilite inovações futuras e integrações com novos canais que ainda não existem hoje. E que consiga escalar e acompanhar seu crescimento à medida que sua base de clientes e canais aumenta de forma exponencial. Portanto, na hora de definir qual a visão do seu Marketing Cloud, o que importa é como essa tecnologia permitirá que sua equipe trabalhe de forma mais inteligente, com agilidade e fazendo o uso dos dados que importam para que sejam acionáveis e permitam o aprendizado contínuo. Bernardo Brandão - Diretor de Marketing da Oracle Marketing Cloud, Oracle América Latina. Fonte: Administradores